Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe em apuros

Mãe em apuros

28
Mar18

Quando as noites (não) são feitas para dormir!

Mãe A.

Foto de Clínica Amamentos.

 

Realmente o que acontece durante a noite é isto (tirando os gatos). Ele querendo mamar. Sempre aos empurrões ao pai. E sempre atrás da mãe. Ele está ferrado a dormir (ou assim parece!), eu aproveito para me afastar um bocadinho para poder estar mais à vontade. Pois nem um minto demora para que ele venha atrás de mim. E depois é muito pior. É a cabeça dele em cima do meu ombro, quando não é em cima da cara. Até me ria, se não fosse eu a estar nesta posição.

Eu gosto de dormir com ele. Mas confesso que há noites que não são nada fáceis. A de ontem foi uma delas. Sempre a acordar. Sempre a querer mamar. Sempre a queixar-se. Pode ser que eu esteja enganada mas parece-me que ele está a ficar doentinho. Pois durante o dia também pouco quis comer. 

Quem mais se identifica com a imagem? 

 

 Beijinhos e até breve.

      Mãe A.

27
Mar18

Porque o meu filho só chora comigo?

Mãe A.

Resultado de imagem para o meu filho só chora comigo

 

Quando vou deixar o meu filho na creche ele fica em prantos. Mas quando é o pai fica bem-disposto. 

Na creche ele não faz birra, não diz "não" na hora de comer, não chora na troca da fralda. Mas comigo chora. Porque o meu filho só chora comigo? Ás vezes parece que é para me testar. Mas não é.

Toda a criança se sente segura junto de sua mãe. Nós somos o seu porto de abrigo. Eles sabem que, independentemente do que possa acontecer, nós estaremos sempre lá para eles. Para os apoiar, para os consolar, para os incentivar. Ora, quando eles passam o dia inteiro longe da mãe, eles engolem os seus medos e receios. E quando a mãe chega eles simplesmente desabafam. O mesmo se passa connosco. Quando temos um dia difícil nós nos controlamos até chegar em casa. Aí sim, nós descarregamos, muitas vezes no marido ou na mãe ou então à noite quando todos já dormem.

Como as crianças ainda não tem esse auto-controlo, elas esperam estar com as mães para "desabafar" pois sabem que as ouviremos e apoiaremos.

O meu filho chora quando o deixo na creche como eu choro. Só que eu choro por dentro. Ele se sente bem comigo tal como eu me sinto bem junto dele. Por isso é tão difícil para ele (e para mim) ficar na creche. Eu tenho a mesma vontade que ele: ficarmos os dois em casa. Mas na vida real, não temos essa hipótese (pelo menos para já).

Ainda ontem, o Pai J. levou o Baby R. à creche. E ele foi logo a caminhar para a sala onde estavam os outros meninos, a olhar para o pai e a rir-se. Hoje, levei-o eu à creche. Choro pegado. 

Não nos devemos sentir piores mães pelo facto do bebé só chorar quando nós chegamos ou quando o deixamos na creche ou com os avós. Antes pelo contrário, é sinal que ele nos ama. Pode parecer difícil. Porque realmente é. Mas temos que ser fortes (ou pelo menos aparentar) para que o bebé também se sinta confiante e calmo.

 Beijinhos e até breve.

      Mãe A.

23
Mar18

O eterno dilema

Mãe A.

Foto de Mae.Tips.

 

Fim-de-semana não é sinónimo de descanso. Isso é para os ricos. Nós pobres, aos fins-de-semana aproveitamos para limpar e organizar a casa. Pois é isso que eu pretendo fazer. Além dar de mamar ao meu filho, de brincar com ele, de dar-lhe banho e comida, tenho para fazer:

  • aspirar e limpar o pó em todas as divisões;
  • colocar roupa para lavar e estende-la;
  • passar roupa a ferro;
  • limpar o WC;

Senhor, ajudai-me. A roupa é tanta que já me cansei mesmo antes de começar. 

Logo o resultado será a 3ª hipótese: "cuidar do bebé + casa arrumada = Sem descansar". 

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

22
Mar18

"Ser forte não é vantagem"

Mãe A.

Foto de Flávia Montenegro Lisboa.

 

Quando vi esta imagem me vi ali debaixo do chuveiro, num final de dia estressante e cansativo.
Cansa o corpo, cansa a mente, cansa a alma.
Seja qual for o motivo, emprego, familia, estudos, relações ruins, 'amigos' ruins, dias ruins.
A mente cansada já não se lembra de rotinas importantes, esquece onde está a chave de casa, equece de pagar um boleto importante, esquece a senha do cartão. Vc acorda já cansada, sem ritmo, sem ânimo, mas acorda, põe sua armadura e mesmo ferida e cansada se obriga a ser forte, a ser a mulher corajosa que a sociedade te obriga a ser. 
Ser forte não é vantagem, é necessidade, matamos um leão por dia e continuamos sorrindo.
Mas quando estamos a sós, desabamos, choramos, não porque nos falta coragem, é pelo excesso dela que nos obriga a parecer impenetrável. Choramos para aliviar a dor da alma, choramos porque a sós podemos ver nossas feridas, choramos com nós mesmas para ser forte.
"Seja forte garota e corajosa" já me diziam isso desde que me lembro, pena que não avisaram o quão forte precisaria ser. 
Não se envergonhe por desabar de vez em quando, não se sinta incapaz por chorar pelo cansaço de seus dias, não tenha vergonha de limpar suas feridas quando elas doerem. Nós mulheres sabemos o quanto isso é importante pra manter sua sanidade e tenha certeza que logo ali na outra casa tem uma mulher como você que também esta no chuveiro deixando que a agua leve consigo suas dores.
Sororidade (união) a todas nós.

 

Texto de Flávia Montenegro Lisboa

 

Quem mais se indentifica?

 

 Beijinhos e até breve.

      Mãe A.

21
Mar18

Um filho estraga a relação?

Mãe A.

Foto de Neném Da Mamãe.

Há quem diga que um filho só vem atrapalhar ou que acaba com a relação. Não concordo. Na minha opinião um filho é uma bênção, tanto para a mulher como para o homem. Se a relação acabar de certeza que a culpa não é do bebé (apesar de muitos afirmarem isso). Se acabou é porque já não ia bem. O que é pena, é o facto de muitos casais decidirem terminarem só depois de trazer ao mundo uma criança indefesa. Indubitavelmente, ela vai sofrer, mesmo que os pais se deem bem. Todos gostamos de ver os nossos pais juntos, não é verdade?

No meu caso, a minha relação fortificou-se. Antes do Baby R. nascer, eu e o Pai J. já éramos cúmplices. Depois que o nosso filho nasceu ainda nos unimos mais. Claro que temos altos e baixos. Todas as relações tem. Mas não desistimos à primeira dificuldade (ele mais que eu!). Persistimos e lutamos para resolvermos as nossas divergências. E trabalhamos com o mesmo propósito: mantermos-nos juntos e unidos.

Apesar dele estar a trabalhar fora do país, tentamos aproveitar cada segundo quando ele cá está. Os momentos a dois já não existem como antes. Mas isso não é um problema, porque temos um filho lindo que nos deixa maravilhados. E é tão bom apreciarmos o crescimento do nosso filho. As "saídas" espontâneas e engraçadas dele. É óbvio que há momentos em que gostaríamos de dar uma fugidinha. Mas quando o Baby R. for maior teremos tempo para isso. 

O amor, esse está sempre presente. E eu tenho um marido maravilhoso. Por vezes deixa-me de nervos em franja. Mas confesso, apesar disso eu sou uma sortuda. 

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

20
Mar18

Os meus brinquedos favoritos na infância eram...

Mãe A.

Resultado de imagem para jogo da macaca

 

Esta é difícil. Porque não me lembro grande coisa dos brinquedos que eu tinha. Recordo-me que sempre quis ter um nenuco. Mas só o tive em 2016. AhAhAh 

Sempre fui muito menininha. Enquanto a minha irmã gostava de andar a brincar com fisgas, uma tábua estrada a baixo com gelo, eu preferia andar a fazer colares de flores. 

Se fosse para escolher jogos, aí sim era fácil. Saltar à corda, ao elástico, à macaca. Se perguntarmos a algumas crianças de hoje em dia, provavelmente nem saberão o que isso é. 

Era tão bom ser criança.

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

19
Mar18

Dia do Pai

Mãe A.

Hoje é o dia do Pai. E não o podia deixar passar em branco.

Quero dizer que tenho um Pai maravilhoso. Não podia pedir um melhor. Ele às vezes é muito teimoso (saí a ele), ás vezes perde a paciência rápido (ops, mais uma característica em que saí a ele) mas é um pai coruja. Nunca me faltou com nada. Nem a mim nem à minha irmã. Sei que nos ama muito, apesar de não o dizer. Mais uma coisa em que sou um pouco igual. Não sou de dizer que adoro e amo alguém. Parto do principio que as pessoas o saibam. Mas se calhar estou errada. É sempre bom ouvirmos que nos amam. 

Pai, eu te amo muito. E apesar de longe estás sempre no meu pensamento e no meu coração. 

Tenho também que falar sobre o meu marido. Porque agora também ele é pai. A festejar este dia pelo 2º ano. O Pai J. é como o meu pai. Não exprime muito os seus sentimentos. Mas sei que ama muito o nosso filho. E que estando longe sente muito a falta dele. Nesta longa caminhada  enquanto pais, temos muito que aprender. Mas ele está a sair-se lindamente. Adora mimar o Baby R.. Brincar com ele. Às vezes observo e não sei qual deles se diverte mais. 

Um feliz dia do pai para ti também meu amor. O Baby R. te ama muito, tal como eu!

Um beijinho para todos os pais. Que tenham um dia feliz junto dos vossos filhotes.

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

16
Mar18

Qual o brinquedo preferido do bebé?

Mãe A.

Foto de Coisas de Bebes.

 

Não podia ser mais verdade. O Baby R. tem alguns brinquedos (bastantes para algumas pessoas!). Mas não se entretêm com eles. A realidade é que ele só quer aquilo que não pode ser. Dizem que o fruto proibido é o mais apetecido. O que ele gosta é de brincar com a vassoura, o balde e a esfregona, o aspirador, um pano de limpeza para fazer igual à mãe. Com estas coisas eu deixo-o andar. Mas e quando ele quer o telemóvel, os comandos da TV, os detergentes, os meus óculos e outras coisas que não são para crianças mexerem? Berreiro pegado! É forte, fica sentido mas o que vale passa rápido. 

Muitas das vezes parece que ele faz essas "exigências" para me testar. Para ver como eu reajo. Tenho a confessar que nem sempre tenha a paciência no auge. Têm alturas em que tenho que respirar fundo dez vezes. Mas acho que faz parte. E só agora está a começar. Tenho ainda um longo percurso de birras e choros. E Deus queira que assim seja.

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

15
Mar18

Hobbies. Quais Hobbies?

Mãe A.

Foto de Meu menino, minha vida.

 

Para ser sincera, já antes de ter o Baby R. os hobbies não existiam. A minha rotina já era trabalho-casa, casa-trabalho. Acho que o que eu sinto mais falta é de tomar banho de meia hora.  Têm alturas em que vou tomar banho e saio à pressa (ainda com um pouco de champoô) porque parece que ouvi o Baby R. E quando vou ver, ele está a dormir. Ouço-o quando ele chora e quando não chora. Quem nunca?

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Mãe A. na cozinha!

Fica a dica!

Resenhas

Maternidade

Baby R. na creche

Inspirações

Mãe A.

Desafio 52 semanas

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D