Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe em apuros

Mãe em apuros

21
Mar18

Um filho estraga a relação?

Mãe A.

Foto de Neném Da Mamãe.

Há quem diga que um filho só vem atrapalhar ou que acaba com a relação. Não concordo. Na minha opinião um filho é uma bênção, tanto para a mulher como para o homem. Se a relação acabar de certeza que a culpa não é do bebé (apesar de muitos afirmarem isso). Se acabou é porque já não ia bem. O que é pena, é o facto de muitos casais decidirem terminarem só depois de trazer ao mundo uma criança indefesa. Indubitavelmente, ela vai sofrer, mesmo que os pais se deem bem. Todos gostamos de ver os nossos pais juntos, não é verdade?

No meu caso, a minha relação fortificou-se. Antes do Baby R. nascer, eu e o Pai J. já éramos cúmplices. Depois que o nosso filho nasceu ainda nos unimos mais. Claro que temos altos e baixos. Todas as relações tem. Mas não desistimos à primeira dificuldade (ele mais que eu!). Persistimos e lutamos para resolvermos as nossas divergências. E trabalhamos com o mesmo propósito: mantermos-nos juntos e unidos.

Apesar dele estar a trabalhar fora do país, tentamos aproveitar cada segundo quando ele cá está. Os momentos a dois já não existem como antes. Mas isso não é um problema, porque temos um filho lindo que nos deixa maravilhados. E é tão bom apreciarmos o crescimento do nosso filho. As "saídas" espontâneas e engraçadas dele. É óbvio que há momentos em que gostaríamos de dar uma fugidinha. Mas quando o Baby R. for maior teremos tempo para isso. 

O amor, esse está sempre presente. E eu tenho um marido maravilhoso. Por vezes deixa-me de nervos em franja. Mas confesso, apesar disso eu sou uma sortuda. 

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

16
Mar18

Qual o brinquedo preferido do bebé?

Mãe A.

Foto de Coisas de Bebes.

 

Não podia ser mais verdade. O Baby R. tem alguns brinquedos (bastantes para algumas pessoas!). Mas não se entretêm com eles. A realidade é que ele só quer aquilo que não pode ser. Dizem que o fruto proibido é o mais apetecido. O que ele gosta é de brincar com a vassoura, o balde e a esfregona, o aspirador, um pano de limpeza para fazer igual à mãe. Com estas coisas eu deixo-o andar. Mas e quando ele quer o telemóvel, os comandos da TV, os detergentes, os meus óculos e outras coisas que não são para crianças mexerem? Berreiro pegado! É forte, fica sentido mas o que vale passa rápido. 

Muitas das vezes parece que ele faz essas "exigências" para me testar. Para ver como eu reajo. Tenho a confessar que nem sempre tenha a paciência no auge. Têm alturas em que tenho que respirar fundo dez vezes. Mas acho que faz parte. E só agora está a começar. Tenho ainda um longo percurso de birras e choros. E Deus queira que assim seja.

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

12
Mar18

Melhores tempos virão

Mãe A.

Resultado de imagem para mãe e filho cartoons

 

Estou de volta ao trabalho. E sabem o que me apetece? VOLTAR PARA CASA! E aposto que também apetece ao Baby R. Deixei-o na creche e lá ficou ele a chorar e a olhar para mim como quem pergunta o porquê de eu o "abandonar", ao mesmo tempo que suplica para não o fazer. É muito doloroso. E vai sê-lo sempre. Pelo menos para mim enquanto mãe. 

Apetece-me estar com o Baby R. Inacreditável como a vontade de estar com ele e não o largar aumenta a cada dia que passa. Ele cresce a olhos vistos. Está a tornar-se mais independente, teimoso (como a mãe), brincalhão. Ah! Já vos disse que ele já diz "teté"? E aqui a mãe baba-se cada vez mais! Ah ah! 

Que fase deliciosa! Queria poder prolongá-la por mais tempo. Já começo a sentir saudades. 

Sinto-me tão grata por ter um filho M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! Faz-me sentir realizada enquanto mãe. Neste momento é o único campo da minha vida onde me sinto verdadeiramente feliz e realizada. Pois o trabalho não me motiva em nenhum sentido. Antes pelo contrário. Só o saber que tenho que ir para onde trabalho já me desmotiva. Mas melhores tempos virão. E com certeza que o destino tem coisas boas reservadas para mim (haja pensamento positivo!).

 

 

Falando de outro assunto. Devo-vos dois post relativos ao desafio das 52 semanas. Estou mega atrasada. Nos próximos dias actualizo tudo. 

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

23
Jan18

O meu macaquinho de imitação!

Mãe A.

O Baby R. está numa fase tão gostosa. Tão divertida. Está naquela fase em que imita tudo (ou quase tudo) o que eu faço. Principalmente, adora imitar-me a limpar. A sério gente! Dá para acreditar? A certa altura pegou num pano que estava caído no chão e começou a "limpar" os móveis da cozinha. Enquanto eu limpava as bancadas. Desde aí arranjei-lhe um pano (que é só dele) e ele anda por todos os cantos com ele a ajudar a mamã nas limpezas (até o leva para a creche!). Têm coisa mais fofa? Não têm! :D

IMG_20180121_123827[1].jpg

 

No Domingo enquanto eu ajeitava o quarto ele pegou num trapo que estava para ir para o lixo e começou a limpar o pó do chão. Claro que eu parei o que estava a fazer para contemplar o momento. É uma fase que passa tão rápido, assim como tantas outras. Sejam fases boas ou menos boas, todas deixam saudades. Esta ainda nem passou e eu já me sinto saudosa. 

 

IMG_20180120_104429[1].jpg

 Quem aí já me segue no instagram e no facebook? Corre lá que postei um vídeo do Baby R. a "limpar! :D

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

16
Jan18

O meu filho ainda não anda!

Mãe A.

Quantas vezes encontramos alguém conhecido e perguntam-nos logo: "ele já anda?". Não, ele ainda não anda. Eu sei que é simples curiosidade. Eu própria também já devo ter feito essa pergunta a alguém. Me desculpem tá? Mas só agora eu percebo a pressão que isso exerce sobre nós mães.

O Baby R. tem quase 1 ano e 2 meses. Ainda não caminha sozinho (e mesmo acompanhado vai muito tropeço).

Eu sei, e digo muitas vezes para mim mesma, que cada bebé tem o seu ritmo. Que ele ainda não está fora de tempo, mas... Mas a preocupação paira sempre sobre mim. Ele sempre foi rapaz de se aventurar de pé. E nunca foi rapaz de estar parado. Toda a gente dizia que ele iria andar antes de um ano. Mas ele vê que de gatas também alcança o que quer (quando mira algo interessante, põe a primeira e é vê-lo a gatinhar a alta velocidade :D) e por isso não se mostra interessado em começar a caminhar. 

O Baby R. também ainda está numa fase de querer muito colo. É um nenuco ainda. Um bebé. E será sempre o meu bebé, independentemente da idade que ele tenha. Não é assim com todas as mães?

Apesar de querer que ele saia por aí a correr, eu não o pressiono. É quando ele se sentir preparado.

Claro que para mim, neste momento, seria melhor porque me daria um pouco mais de "liberdade" para fazer as coisas de casa. Mas tudo bem.

Até para ele. Ele conseguiria divertir-se muito mais em algumas situações. Quantas vezes vamos, por exemplo, ás compras e ele já está farto do carrinho, do colo? E se ele andasse poderia explorar mais. Porque não vou colocá-lo no chão onde passam "milhentas" pessoas.

 

Ele não caminha ainda, mas todos os dias faz uma coisa nova. E tenho que agradecer por isso. Por ele ser um rapaz alegre, inteligente e maroto. Oh se é! Cada dia é uma nova vitória para ele. Por isso temos de ter paciência. Incentivando-o possitivamente. Puxando por ele mas sem o pressionar (se ele for igual a mim, quando me sinto pressionada é quando não faço nada de jeito! :S).

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

 

 

09
Jan18

O Baby R. e o seu quarto!

Mãe A.

 

 

 

IMG_20180104_230119[1].jpg

 

O Baby R. voltou a ter o quarto dele de volta (ele ficou temporáriamente sem o quartinho dele, para que a minha avó ficasse lá uns tempos). Deviam ver a alegria estampada no rosto dele. Notou-se a léguas que ele ficou radiante em reavê-lo. E eu e os meus pais também ficámos felizes ao vê-lo.

E como a maioria dos brinquedos que ele têm estavam arrumados (por falta de espaço), agora ao vê-los é como se tudo fosse novo para ele. :D

 

IMG_20180104_230158[1].jpg

IMG_20180104_230227[1].jpg

A garagem do Baby R. está a aumentar. Têm tantos como o Ronaldo! :D

 

IMG_20180104_230248[1].jpg

IMG_20180104_230257[1].jpg

 

IMG_20180104_230310[1].jpgIMG_20180105_081922[1].jpgIMG_20180105_081935[1].jpg

 

Beijinhos e até breve.

     Mãe A.

 

08
Jan18

Um Natal a recordar!

Mãe A.

 

IMG_20180102_174503[1].jpg

 

(Ignorem o facto do Natal já ter terminado! :D)

Já vos disse que o Baby R. adorou a árvore de Natal? Pois é verdade. Ele simplesmente amou. Principalmente amou tentar tirar os enfeites. :D

É tão gostoso ver um ser tão ingénuo, sem mal nenhum mas inteligente a descobrir o mundo! Realmente as crianças são o melhor do mundo. E de nós também. Eles têm tanto a aprender com os adultos. Mas nós, adultos, também deveríamos aprender com eles. Deveríamos conseguir ver o mundo pela visão de uma criança. Deveríamos aprender a amar mais, a respeitar mais, a divertir-nos mais, a não ter maldade no olhar (e na cabeça). 

O mundo é para quem o sabe aproveitar. 

 

IMG_20180102_174432[1].jpgIMG_20180102_174436[1].jpg

 

IMG_20180102_174500[1].jpg

 

Beijinhos e até breve.

      Mãe A.

 

 

 

06
Jan18

Coisas que me fazem felizes!

Mãe A.

Ora bem, "coisas que me fazem felizes". O desafio não poderia começar da melhor maneira :P

Estar junto com a minha família faz-me feliz. Faz-me bem. Sem dúvida que eles são a minha alegria e o meu orgulho. 

O meu filhote. Amor maior. Amor para a vida toda. Sem ele a vida não faz sentido. Parece cliché mas é a pura verdade. Antes de ser mãe pensava que o que me fazia realmente falta era o dinheiro. Mas estava redondamente enganada! Claro que o dinheiro também me faz falta. Mas passou do estado de muito importante para é necessário. O que realmente me deixa preenchida é ele. O BABY R.. É um amor inexplicável. 

Concluindo, se eu tiver junto de mim os meus pais, a minhã irmã, o meu cunhado, a minha avó, o meu marido (o Pai J.) e o meu filho, eu estou no paraíso. 

 

Beijinhos e até breve.

Mãe A.

27
Dez17

Dia de Natal com otite!

Mãe A.

Olá.

 

Como foi o vosso Natal? O meu foi passado em casa, com a família, e com uma ida ás urgências. O Baby R. de 24 para 25 passou a noite com febre. E durante o dia de Natal continuou febril e muito rabugento. Como não é normal dele refilar e chorar por tudo e por nada, dirigimo-nos ás urgências. Lá examinaram-no e dizeram-nos que estava com otite. 

 

se a criança está resfriada e cerca de três a cinco dias depois fica com febre, geralmente acompanhada de irritabilidade ou dor ao engolir, pode ser que esteja com otite.

Outros sinais são mexer na orelha e ficar inquieta demais, diferente de seu estado normal (lembre-se de que algumas crianças costumam mexer na orelha sempre que estão com sono, portanto não há motivo para se preocupar se seu filho estiver bem, apesar de mexer na orelha).

(https://brasil.babycenter.com/a1500130/otite-e-dor-de-ouvido-no-beb%C3%AA#ixzz52Szi5JRw)

 

Já estava com 38º de febre. Deram-lhe logo um supositório e receitaram um xarope com antibiótico. O Baby R. nunca chegou a ter otites. Por vezes o ouvido estava um pouco vermilhito mas com umas gotas passava. Mas desta vez foi pior. Refilava com tudo. Muito choramingão. Não parava quieto. 

 

 Ontem não houve creche, logo ele ficou em casa com os avós, os padrinhos, a bisavó e o papá. Andou o dia todo bem disposto. De tal maneira que à noite demorou para adormecer. Passava das 21:30h e o Baby R. ainda acordado. Mas esta noite já dormiu muito melhor. E já voltou ao seu estado normal. Brincalhão, sorridente e sempre (ou quase sempre!) alegre. 

 

Beijinhos e até breve

Mãe A.

21
Dez17

Festa de Natal da creche!

Mãe A.

IMG_20171216_150036[1].jpg

 

Olá. 

 No dia 16 de Dezembro foi a festinha de Natal da creche. Pediram aos pais que levassem os pequenos por volta das 14:45h. E assim fiz. A essa hora lá estava eu e a minha mãe a entregar o Baby R. vestido todo de vermelho (inclusive o casaco, que já agora, era do Pai J.! Um casaco com 32 anos de histórias!). 

Ficamos a aguardar o ínicio da festa. Estava marcada para as 15h. Estava nervosa. Tinha receio que o Baby R. começasse a chorar desalmadamente quando visse tanta gente. Mas não. Quando eles apareceram em palco estavam todos lindos. Mas claro, o meu filho era o mais lindo (não fosse eu, mãe, dizer isto! Todas as mães acham o seu rebento o mais lindo de todos!). 

No salão onde estavam os pais e avós a assistir à apresentação da pequena era só risos. Risos ternurentos. Risos babados. Risos que transmitiam amor e orgulho.

 

 IMG_20171216_155322[1].jpg

 

No final, não poderia faltar o célebre Pai-Natal. Todas as crianças gostam dele. Claro, nem todas. O Pai-Natal sentou-se na sua poltrona, e foi destribuindo presentes a cada bebé/criança enquando elas se sentavam no seu colo. Algumas choraram. Outras quiseram ir logo embora.  Quando chegou a vez do Baby R.... Ai (até suspiro)... Não chorou nada. A educadora até disse que ele era quem menos esperavam que se comportasse daquela maneira. Todo na boa. A olhar para o Pai-Natal pela primeira vez.  Realmente, o meu bebé está a ficar crescido. 

No final houve um lanche partilhado. Não fiquei para o lanche, fui mudar a fralda ao Baby R., dei-lhe a mama e ele acabou por adormecer. Ou seja, fomos logo para casa.

Mas estava tudo muito bem. Os pequenos estavam muito lindos. A decoração do salão com os desenhos estava muito fofa. Obrigada ás educadoras e auxiliares. 

 

IMG_20171216_150002[1].jpg

Para o ano há mais! 

 

Beijinhos e até breve.

Mãe A.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Mãe A. na cozinha!

Fica a dica!

Resenhas

Maternidade

Baby R. na creche

Inspirações

Mãe A.

Desafio 52 semanas

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D